GRANDES TÉCNICOS

 

Grandes técnicos…

Saudações queridos Tricolores…

Analisando bem e pude notar algo que chamou minha atenção é o fato que dois comandantes que já atuaram no Maior do Mundo estão se destacando nos clubes rivais.

Irônico não, mas sem duvidas algo atual, como pode certos treinadores que eram tão questionados no comando do São Paulo Futebol Clube, agora serem adorados e reverenciados no comando de seus novos clubes. Sim grandes técnicos que tiveram sua passagem no time do Morumbi, assim como nos trouxeram alegrias, eles também nos trouxeram tristezas, até chegar o ponto de condená-los outras, o odiamos, mas na realidade bate um certo arrependimento quando vemos eles brilharem em outros clube, cujo não é o nosso,  e relembrar que quando tínhamos eles poderíamos ter tudo, mais por um ou outro jogo acabamos pedindo suas cabeças e literalmente mais tarde acabamos nos arrependendo de tudo.

Olha o caso do Muricy que foi demitido por não ter conseguido nenhuma libertadores e olha ele como sempre, um ótimo estrategista e sempre concertando as equipes as quais comanda,está na final da Libertadores com um dos nossos rivais: o Santos.Ironia, sorte do destino,não sei definir, só sei que ele chegou até lá, e se não bastasse isso, foi ele quem se encarregou de acabar com nossos sonhos na semi do Paulista, com sua mente brilhante e extraordinário talento, provou mais uma vez que é e sempre será o melhor treinador do Brasil. É MURICY…É MURICY…

E o Ricardo Gomes o que dizer dele??

 

Após a demissão de Muricy o São Paulo precisava de um substituto por isso em 20 de junho de 2009 Ricardo Gomes foi anunciado como novo técnico do São Paulo.A negociação foi anunciada pelo presidente do clube, Juvenal Juvêncio, após concretizá-la. Isso significou a volta de Gomes a um time do Brasil, já que seu último trabalho no país havia sido em 2004, no Flamengo… Mas sua passagem no São Paulo não durou muito pois no dia 6 de agosto de 2010, com o término de seu contrato, os dirigentes do São Paulo decidiram não renovar. Em 2 de fevereiro de 2011, foi anunciado como novo treinador do Vasco da Gama. onde pegou um elenco desmotivado e conquistou a Copa do Brasil de 2011 ( Fonte: Wikipédia).

O que temos agora no nosso comando é o técnico Paulo César Carpegiane, que após duas eliminações seguidas, quase foi mandado embora, não sabemos se o futuro dele no São Paulo será certo, mas ao meu ver, ele esta tentando se recuperar do baque, vamos ver até quando durará…

Se olharmos para trás o que fica na nossa mente.Será que eles fizeram um bom trabalho no tricolor? Ou deixaram a desejar como tecnico?

E ai queridos tricolores qual a opinião de vocês, Muricy e Ricardo Gomes fizeram um bom trabalho no nosso querido tricolor???

Uma ótima semana a todos…

Bjus

Diiii

@diii29: Paraense, eterna criança, jogadora de futsal e acima de tudo São Paulina de corpo, alma e coração. É colunista no Soberanos, escrevendo suas colunas às segundas

BÉLA GUTMANN

“O passa-repassa-chuta são indispensáveis para chegar ao golo. Marca e desmarca. Se a bola não é nossa, marca. Se a bola é nossa, desmarca. Este é o principio fundamental do futebol!”
(Béla Gutmann, 1962).

 

O São Paulo já teve um treinador húngaro? Vocês vão dizer que o São Paulo teve inúmeros treinadores, desde uruguaios a argentinos, mas húngaro definitivamente não.

Isso mesmo, vocês estão absolutamente…errados!

Por incrível que pareça o nosso Tricolor já teve um treinador vindo da Hungria e o seu nome era Béla Gutmann.

Na década de 50 o futebol húngaro era fantástico com Puskás e cia.

Já Béla Gutmann chegou carregando na bagagem o título italiano de 54/55 com o Milan e o uruguaio de 1956 com o Penãrol.

A única condição para trabalhar era que o os dirigentes contratassem nada mais nada menos que Zizinho na época para muitos o melhor jogador do Brasil e ídolo de um garoto chamado Pelé. Os dirigentes aceitaram a condição e trouxeram o mestre Ziza já aos seus 35 anos.

Ele se juntou a um bom time que ainda tinha no seu elenco nada mais nada menos que Canhoteiro. Foi este time que chegou e ganhou a final do Campeonato Paulista de 1957 e não pôde dar a volta olímpica como disse no “Tarde das Garrafadas”  publicado aqui no Soberanos.

Depois de se sagrar campeão com o Mais querido. Béla Gutmann voltou para Europa para quê? Ser campeão pelo Porto ao lado de João Carlos Bauer o “O Monstro do Maracanã” que jogou no São Paulo. Foi Bauer que informou a Gutmann sobre uma jovem promessa de Moçambique. Promessa esta chamada Eusébio da Silva Ferreira que foi para o Benfica em 1960 quando o húngaro assumiu como técnico no clube. Esta parceria rendeu jogos históricos, como o jogo em que Eusébio- “O Pantera Negra” marcou 3 gols no Santos de Pelé (que marcou 2) e venceu a equipe da Vila Belmiro por 6 x 3 pela final do torneio de Paris em 1961. A parceria conquistou títulos históricos como os Nacional Português, Taça Portuguesa e Liga dos Campeões.

Béla Gutmann fez história por tantos títulos conquistados em tantos grandes clubes do futebol mundial.

A sequência de 1955 a 1962 é fantástica. Palmas para o húngaro Béla Gutmann.

 

Falar de tantos bons nomes da história do futebol como Eusébio, Zizinho, Pelé e Canhoteiro,

me faz terminar o texto com uma ótima música do Chico Buarque chamada: “Futebol”.

Bom fim de semana Soberanos e amantes de bom futebol e boa música.

ARVE Error: no id set

BORGES

Foto: IG
Foto: IG

Chegou ao Tricolor Do Morumbi em 2007 após uma passagem bem sucedida pelo Japão.

Borges acreditava que atuar pelo Maior do Mundo era o maior salto de sua carreira.

“É a chance de abrir as portas para o mundo inteiro, porque todo mundo estará me vendo.Aqui a visibilidade é muito maior e a cobrança também” – entrevista UOL

Ele era definido pelo tecnico Muricy Ramalho como “Goleador, que tem como caracteristica fazer gols.Ele pode jogar tanto ao lado de Aloisio, porque busca o jogo pelos lados do campo, como jogar mais preso na area” – disse o comandante Tricolor

ARVE Error: no id set

Nesse mesmo ano o São Paulo conquistava com a ajuda de Borges o  Bi Campeonato Brasileiro.

Em 2008 o atacante voltou de férias e o São Paulo tinha contratado o Imperador Adriano e seu nome não aparecia como opção para formar dupla com o novo atacante. “Todo mundo falava em Adriano e Aloisio, Adriano e Dagoberto, mas meu nome não aparecia”

Nesse momento ele pensou em deixar o Tricolor, recebeu uma proposta milionaria para atuar pela equipe do Dubai, mas resolveu ficar porque nunca ouviu do treinador que ele estava descartado.

“Se eu soubesse que não tinha chances de jogar, iria embora, dar um novo rumo na carreira” disse o atacante – entrevista Terra Magazine

Foto: Globo Esportes
Foto: Globo Esportes

Porém devido a contusões e suspensões de Aloisio e Dagoberto, ele atuou ao lado do Imperador e se entendiam bem em campo, tanto é que dividiram a artilharia.

 

Em Novembro de 2008 marcou pela primeira vez três gols na mesma partida, o jogo foi contra a Portuguesa.

 

O atacante foi muito importante para a conquista do Tricampeonato Brasileiro ( três vezes seguidos). Um titulo que ficou marcado para jogadores, técnico, clube e para os torcedores, o unico clube brasileiro a ser consagrar Hexa Campeão (só pra nós mesmo).

Nesse ano conquistou o prêmio Bola de Prata.

Em 2009 com a proximidade do termino do seu contrato, o atacante voltava a manifestar a vontade de atuar fora do país.

E  sua saida foi inevitavel em dezembro ele se despedia.

“Só tenho a agradecer ao São Paulo, a diretoria, a comissão tecnica, fisioterapeutas, aos jogadores e também a torcida que sempre me apoiou. Foram anos de conquistas e otimos resultadose agora vou seguir um novo caminho em minha carreira” – entrevista ClicRBS.

E para vocês Tricolores, Borges foi bem aproveitado em quanto jogou no Tricolor? Deixou saudades?

ARVE Error: no id set

Abraços,

@kellianevilela

Fonte de pesquisa: Wikipédia.

XANDÃO:TRICOLOR DESDE CRIANCINHA

Saudações, Soberanos!

É com prazer que hoje estou aqui escrevendo a convite da minha amiga soberana Kelliane. Meu desafio é falar um pouquinho de um jogador que pra mim é muito querido, mas vou tentar ser o menos passional possível.

Alexandre Luiz Reame, ou simplesmente Xandão, é natural da cidade de Araçatuba-SP. Revelado pelas categorias de base do Guarani. Aos 20 anos foi um dos líderes do time de Campinas na volta para a Série-B do Campeonato Brasileiro em 2008. Teve passagens por Atlético-PR, Fluminense e por último Grêmio Prudente, onde se destacou no Campeonato Brasileiro de 2009.

 

Ele chegou ao Mais Querido no ano passado junto com mais dois jogadores, o também zagueiro André Luis e o atacante Fernandinho. Seu desafio não era fácil, pois estava diante da melhor zaga do país, mas em momento algum Xandão deixou de lutar pelo seu espaço.

Sua paixão e dedicação pelo seu time de coração sempre foram visíveis, e ele assumiu de peito aberto a missão de honrar o Soberano:  Sou são-paulino desde criança e estou acostumado a vestir essa camisa como torcedor. Agora, como jogador profissional, para defender o clube, está sendo natural e uma honra.” Este sem dúvidas foi um diferencial para ele, a humildade e o amor pelo clube.

No dia 28 de janeiro de 2010, ele fez sua estréia (SPFC 3 x 0 Paulista) Já de cara mostrou que tinha sim condições de vestir nosso Manto Sagrado e caiu nas graças da torcida pela segurança e tranqüilidade, e lógico por todo amor declarado pelo clube. Mas como nem tudo é fácil, em alguns jogos perdeu espaço pro Renato Silva. Ricardo Gomes, o técnico na época entendia que o Renato estava melhor que o Xandão, só mesmo na cabeça do francês.

Ele teve oportunidade de sair no meio do ano, por conta de seu destaque inicial, foi preterido por alguns clubes da Europa, mas deixou claro que não queria sair: “Estou no melhor clube do Brasil. Por que vou querer sair?”. No segundo semestre, seu futebol caiu um pouco, como o de todo o time do São Paulo, além de ter se contundido e deixado os gramados por um mês.

Xandão só tem 22 anos, e como todo jovem jogador tem seus momentos de altos e baixos. Ainda tem muito que aprender e crescer dentro do clube e sei que ele vai lutar pra isso nesse ano de 2011. Vontade pra isso nunca lhe faltou…

 

“… no ano que vem, vou fazer de tudo para tentar conquistar uma vaga na equipe e consequentemente mais fãs que assim como você que gostam e admiram meu futebol.” Promessa ao seu Fã Clube.

Sei que ele não é unanimidade para assumir o lugar do Miranda, mas acredito muito na sua capacidade e vontade de crescer, este foi só o primeiro ano de clube. Tivemos outros grandes jogadores e até mesmo zagueiros que tiveram um primeiro ano difícil, mas que depois se tornaram peça fundamental no time. Xandão pode ser um desses, por que não?

Sou administradora do Fã Clube do Xandão no Twitter, tenho o seu apoio e carinho pelo FC, quem quiser seguir é o @FCXandao.

Um grande abraço nação Soberana!

Adri Ribeiro

ÍDOLO E MESTRE SOBERANO

ARVE Error: no id set

Caro leitor, se prepare para uma longa leitura, que já completa quase 80 anos de história.
Começou em Itabirito (MG), e para a decepção dos nossos “soberanos” não terminará aqui nesse texto, mas isso eu explico mais pra frente.
Seu nome? Telê Santana da Silva, mais conhecido como “O Mestre Telê”.

Queríamos começar o texto antes dele se tornar Mestre, mas isso seria impossível, ele nasceu Mestre e isso não temos como mudar, nem poderíamos, com certeza tirar dele esse posto seria o maior sacrilégio já cometido na história do futebol.

Ponta direita com passagens pelo Fluminense, Guarani e Vasco da Gama.
Como Técnico o currículo é extenso mas com certeza a sua trajetória mais vitoriosa foi ao comando do São Paulo Futebol Clube. Este aqui é sim um site clubístico, mas me perdoem, esse post não é sobre o São Paulo, isso tudo é para um ídolo incontestável, um Mestre.

Será que os mais novos acreditariam que o homem que homenageamos hoje já foi chamado de “pé frio”? Que vontade que eu tenho de voltar no tempo e rir da cara de cada um que um dia disse isso.
Pois é meus queridos críticos, ele realmente justificou seu primeiro apelido no mundo do futebol, “O Fio de esperança” se tornou técnico e assim se tornou “Mestre”.

O Conquistador das Américas, apaixonado por essa tal Libertadores.

Quantas vezes caia em lágrimas por causa desse mestre, quantas alegrias você me proporcionou meu Eterno Mestre Telê e quanto choro também, o maior deles em 21 de abril de 2006 quando nos deixou aqui levando para o céu todo o seu brilhantismo.

Como é difícil buscar criatividade e inspiração para escrever quando você olha para trás e vê no seu passado coisas que te deixam sem palavras e sem reação até hoje. Obrigado por me proporcionar isso Mestre, obrigado por tornar mais difícil o meu trabalho de “blogueiro” mas com o orgulho de saber que absolutamente NADA do que eu escreva aqui vai retratar toda a importância que você tem pra mim e pra todos aqueles que nos lêem.

No começo eu disse que para a decepção de vocês esse texto não terminaria aqui. Essa história nunca vai terminar e eu tenho certeza de que quando estiver bem velhinho ainda vou ligar minha televisão e ver em todos programas de esportes o seu rosto sorridente e a sua camisa tricolor.

Obrigado Mestre,
Te amamos e para sempre amaremos.

#TelêEterno

Olê, olê, olê olê, Telê… Telê

ÍDOLO SOBERANO – DIEGO LUGANO

Celestial vermelho, preto e branco.

Ih, lá vem mais uma besteira da diretoria do São Paulo.
Precisamos arrumar um jeito de criticar, quem é esse cara? Da onde ele veio? E o que é essa bandeira Celeste que ele traz na bagagem?
Quer saber, agora vamos chama-lo de “O zagueiro do presidente”.
Ih, mas não é que esse cara tem raça? E pensando bem até que ele defende a zaga tricolor muito bem. Sem falar que é um monstro no cabeceio, bola na área é dele, ou afasta o perigo ou marca cada golaço.
Sabe de uma coisa, esse tal Diego Lugano é muito bom isso sim, eu disse isso desde o começo, sabia que ia brilhar no São Paulo.

E foi assim que tudo começou, uma história aonde chega um “Fulano” e sai um LUGANO, com letras maiúsculas e um poder de marcação de marcar história no tricolor.
Criticado pela imprensa, desacreditado pela torcida e com a confiança do presidente, Diego Lugano chegou mostrando a que veio.
Com a raça uruguaia e sua determinação dentro de campo não demorou muito para mudar a opinião de torcedores e pessoas da imprensa.
Assim nasceu para o São Paulo e para o mundo, sendo hj consagrado como um dos grandes zagueiros da história tricolor.
Esse é Diego Lugano, o Dom pra uns, o eterno pra outros, não importa, será sempre o nosso zagueiro tricolor.

Volta Lugano!

ARVE Error: no id set

Por: Vinícius Petricelli @vipetri_dm9