45 MINUTOS DE JOGO

Agora sim um verdadeiro pós jogo.

Mas será que o que vimos ontem foi um jogo por inteiro? Na verdade não, foram 2 metades distintas, um 1ºtempo completamente Tricolor, paulista é claro.
Com uma bela jogada de entrosamento do Fluminense eles abrem o placar ainda no começo do jogo, mas não se deixem enganar, foi um lance isolado do Flu no primeiro tempo. Totalmente dominado pelo São Paulo o Fluminense assistiu apático logo em seguida a uma falta bem batida do Rogério Ceni, mais do que isso, uma falta inteligente de quem conhece o goleiro adversário, e uma jogada de equipe pra um gol do Fernandão, que mais uma vez deixou o campo com dores.

Uma ótima noite para o nosso tricolor paulista, só esqueceram de avisar que após tudo isso teria ainda algo muito comum no futebol, algo conhecido como 2º tempo, ouviu falar?

Pois é, com certeza um empate fora de casa contra o líder do campeonato pra nós é vitória, não temos que reclamar em nada deste resultado, mas assim como foi contra o Cruzeiro o filme se repeti e o São Paulo não volta para o segundo tempo da mesma forma, será que aquele jogo não serviu como lição? Repito, o resultado foi bom sim, mas será que não conseguiriamos torna-lo excelente? Eu acho que sim.

No segundo tempo o tricolor carioca dominou, o São Paulo perdeu a cabeça e começou a jogar somente no campo de defesa, com alguns lances isolados no ataque que foram gravemente desperdiçados.

O que vimos foi um time de um tempo só, mas sinceramente?
Se esse time tiver daqui pra frente essa mesma postura, com certeza vamos incomodar e nossos rivais que se cuidem, por o Soberano está em campo e dessa vez é pra vencer.

1 MÊS SOBERANO

Hoje temos a felicidade de completar 1 mês de site e devemos tudo isso a vocês,  nossos leitores e seguidores que sempre participam com agente de todas nossas ações.

Agora então iremos contar pra vocês um pouquinho da história do Soberanos.

O Soberanos é um projeto criado por torcedores São Paulinos que discordam de praticamente tudo, menos o time que torcem.
Assim, oferecemos a vocês diversos angulos sobre o mesmo assunto do nosso tricolor.
Nascemos no twitter e em pouco tempo alcançamos a marca de mais de 400 seguidores. Também em pouco tempo acrescentamos ao nosso twitter um site e daí surgiram várias novidades.

Nesse 1º mês foram feitos 37 posts, criamos 2 colunas, “Ídolo Soberano” e “Torcida Soberana”, recebemos 230 comentários e tivemos, até ontem, 4.336 acessos, o que na nossa opinião é motivo de muito orgulho do nosso trabalho e principalmente dos nossos seguidores e leitores que sem sombra de dúvidas são os melhores, somos sim uma #FamiliaSoberana e isso não fomos nós que criamos, foram vocês, OBRIGADO e muito por tudo isso.
Criamos uma liga no CartolaFC, que você pode acessar clicando no link do lado direito da página e diversas outras pequenas promoções.
Sorteio de camisa ao chegar aos 1000 followers e 2 pares de ingressos para Soberano, seis vezes São Paulo, se chegarmos aos 880 antes da estréia nos cinemas.

Enfrentamos momento difíceis, uma eliminação que nos fez levar quase 1 hora para acreditar no que viamos e deixar o estádio do Morumbi em completo silêncio. No dia seguinte, dois posts: “Os Deuses também choram” e “Justo?”. Um récorde de mais de 500 acessos, elogios de pessoas de renome, como Gilmar Rinaldi e um apoio tão grande da #FamiliaSoberana que foi a única coisa que fez com que tivessemos força pra continuar e fazer ainda mais por vocês.

Nesse 1º mês não somos nós que estamos de parabéns, mas sim nós quem devemos dar os parabéns pra vocês.
Obrigado por todos conselhos, elogios e críticas desse mês.

Pra terminar o post, uma agradável lembrança sobre uma de nossas promoções e um:

Obrigado #FamiliaSoberana

PRÉ JOGO – #SPFC x VASCO

São Paulo e Vasco fazem nesta quarta-feira um duelo diferente dos últimos que vimos.

Ultimamente quando se encontravam, viamos o Maior do Mundo embalado e o Vasco se esforçando para encontrar um rumo.

Mas desta vez é diferente, em meio a uma crise (sim uma CRISE), coisa que não acontecia a muito tempo pelos lados do Morumbi, o Tricolor tem pela frente um Vasco embalado, principalmente após a parada da Copa do Mundo, periodo em que contratou PC Gusmão, técnico que segue invicto no campeonato.

Pelo lado do São Paulo a esperança mesmo é o retrospecto, já que não perdemos para o Time da Colina nos nossos dominios desde 2002.

Outra boa noticia é que Carlos Alberto não joga, o meio campo vascaino que vive uma boa fase foi suspenso pelo STJD e não participará do duelo deste meio de semana.

No São Paulo as principais novidades do técnico Baresi são: A possivel volta de Ricky, Marcelinho no lugar do Marlos e Dagoberto sendo relacionado de novo.

Aos São-paulinos resta a essperança de um recomeço (MAIS UM!) e agradecer por futebol ser de quarta e domingo e as feridas do ultimo fim de semana terem a possibilidade serem fechadas já nessa rodada com uma boa atuação.

Seja o que Deus quiser.

TORCIDA SOBERANA

Olá #FamíliaSoberana, como vocês escolheram, hoje é o dia da Torcida Soberana com @alan_msousa leiam e sigam.
Continue seguindo @os_soberanos e fique atento sobre como participar da Torcida Soberana, você pode ser o próximo.

Inicio esse post com algumas palavras do nosso saudoso ex-presidente Marcelo Portugal Gouvêa:
“Nossas glórias vêm do passado, como canta o nosso hino.
Passado construído com alicerces da raça, do caráter, da vontade dos pioneiros tricolores.
Passado sólido que garante futuro alvissareiro. Como campo bem irrigado, os talentos brotam no São Paulo.
Como brota e cresce a sua torcida que, orgulhosamente, beija nosso estandarte ao cantar:
“Tu és forte, tu és grande!”

É, os tempos mudaram: na gestão Portugal Gouvêa, nossas glórias vinham do passado e do presente;
a raça e a vontade eram visíveis nos jogadores; o futuro era promissor;
os talentos realmente brotavam; e nossa torcida, como sempre: apoiando o time.
MPG se foi, o São Paulo continou. Nessa década, conquistamos 3 campeonatos brasileiros, 1 Libertadores e 1 Mundial.
Mas algo mudou: há algum tempo, não vemos mais aquele São Paulo de outrora: nossa soberania incomoda os adversários, e de certa forma, acomoda nossos jogadores. Por sermos durante tanto tempo, acostumados apenas a vencer, nossa mentalidade é de time pequeno:
muitos que ali estão não merecem a camisa que vestem.
Que bom seria se tivéssemos 11 Rogério Ceni’s ou 11 Alex Silva’s, um dos poucos que realmente jogam pelo time.
Ou então, voltando um pouco no tempo, a raça de Diego Lugano ou o time do Mestre Telê.
Sintetizando: Eu quero o verdadeiro São Paulo de volta!
O problema eu não sei, mas a solução tem que ser urgente.
Que os jogadores relevem os dizeres de Marcelo Portugal Gouvêa:
“Tu és forte, tu és grande!”

Obrigado, pela oportunidade de expressar o que todo são-paulino está sentindo, e parabéns pelo sucesso!

DANGER

Pós-jogo? Mas que jogo?

Alguém chegou a ver o São Paulo em campo ontem?

Eu não vi, o que vi foi uma atuação patética repleta de comodismo e gente que não sabe nada de futebol.

O que é fato? Não podemos responsabilizar certas pessoas, vamos aos nomes:

Sérgio Baresi: não é especialista e está longe de repetir atuações brilhantes de interinos, como o mais recente exemplo o Andrade, que conseguiu a proeza de fazer um clube do rio ganhar um título grande. Culpado? Inocente, a Diretoria é quem está errada.

Jean: Excelente volante, lembra muito Josué na forma de marcar e quando sobe sabe criar algo, tem suas limitações mas como volante atua muito bem. O defeito dele? Ser o “menos pior” ala direta entre os volantes. Culpado? Inocente, a Diretoria é quem está errada, novamente.

Rogério Ceni: Não tem explicação, quem dera todos fossem como ele.

Chega de passar a mão na cabeça, sabemos que esse ano não podemos esperar títulos mas o mínimo que podemos esperar é vergonha na cara dentro de campo. Quem é Cléber Santana? Será que a diretoria não percebe que esse vendido não está nem aí pro nosso tricolor? Alias, que diretoria é essa? Será que toda vez que for criado um projeto para o Morumbi o futebol vai virar segundo plano? Não é o bom futebol que traz público, renda e faz sermos o tal “GIGANTE” que dizemos ser hoje?

Quem vai esquecer nossos incríveis clássicos de 2010? Opa, perai, é melhor esquecer.

Francamente, deixem de tomar seus Jhonny’s e comecem a tomar vergonha na cara.

O São Paulo é muito maior que o alcoolismo e a arrogância de vocês.

Respeitem essa camisa, respeitem essa torcida e parem de ser tão retrógrados. O futebol não é o mesmo de sempre, ou você cresce ou você fecha.

Adeus velhos! Venham e sejam bem vindos novos.

Queremos mudanças, chega de gestão antiga e conservadora, o São Paulo agradece.

INDIGNAÇÃO

#MUDASPFC

QUAL O SEU #SPFC X CORINTHIANS INESQUECÍVEL?

Na ultima quarta-feira eu (@Juhlio10) e o @vipetri_dm9 tivemos a ideia de escrever aqui sobre os nossos #SPFC x Corinthians inesquecíveis.

Vou começar com o meu, voltamos a 1998 e eu ainda com9 anos me dizia SÃO PAULINO mas não sabia o porque muito menos o que se passava no mundo do futebol.

Ouvia boatos pela escola que no domingo teríamos final de campeonato. E que seria um #SPFC x Corinthians.

Mas não era só isso, parecia que o São Paulo estava trazendo de volta o Rai e que ele jogaria a decisão. Na época eu não entendia nada, nem quem era Rai muito menos com um cara poderia chegar dois dias antes de uma final de campeonato e jogar.

Mas enfim.. eu tinha 9 anos e é compreensivel eu não ter noção do que estava se passando pelo mundo.

O domingo chegou, dia normal em casa com a família e depois do almoço resolvi ir brincar na praça aqui perto de casa com umas crianças que la já estavam.

A brincadeira? Obvio que levei minha bola para jogarmos um golzinho e aproveitar aquele dia de sol que fazia em Santo André.

Mas antes de sair fiz um pedido para a minha mãe:

– Mãe, hoje tem a final do campeonato, então assim que começar o jogo você me chama ta?!

Não precisou, meu jogo estava lá rolando mas eu não conseguia pensar em outra coisa, o #SPFC ia jogar uma final coisa que eu nunca tinha visto, a emoção tomava conta e quando comecei a ouvir os barulhos dos rojões não pensei duas vezes, peguei minha bola e voltei correndo pra casa gritando que queria ver o jogo.

Sentei sozinho na sala, e comecei a ver o jogo, o tal do Rai estava lá com a camisa 23, mas tenho que admitir que naquela época o cara que eu mais gostava no time era o Denilson, que fazia sua despedida pois tinha sido vendido por 30 milhões de dólares ao Betis (a transação mais cara da história na época).

Que garoto de 9 anos não prefere o jogador que dribla todo mundo?

Hoje me arrependo profundamente pelo carinho que sentia por ele, mas isso fica pra outro post.

Voltando ao jogo, após diversas chances pra ambos os lados, com 30 min do primeiro tempo eu fui apresentado aquele tal de Rai, com cruzamento de Zé Carlos e escorada de França, Rai, o cara que tinha acabado de chegar faz  gol de cabeça e o Morumbi explode, uma festa enorme que eu so me lembro de ter visto uma outra vez, que também fica pra um outro post.

Fim de primeiro tempo, eu fiquei na sala imóvel, como quem quisesse que o tempo passasse logo e aquela agonia acabasse.

Começou o segundo tempo, não me lembro com quanto tempo mas saiu um belo gol e não foi do São Paulo, e eu escutei na TV:

– O Corinthians fica mais perto do titulo.

Pra mim foi a deixa, parecia que meu mundo tinha desabado, como qualquer criança que ve seu time perder, e pra mim que nunca tinha visto o time campeão, nunca tinha visto uma final parecia mais doloroso.

Mas….

Rai estava de volta e numa bela tabelinha ele deixou França na cara do gol que não desperdiçou.  Meu Deus, eu não me lembro de nunca mais ter ficado daquele jeito, correndo pela casa, pulando, chorando.

– O São Paulo esta mais perto do titulo. Dizia a TV.

Depois disso o tempo não passava mais, parecia que cada segundo durava horas, mas o Morumbi estava lindo e a festa da torcida do São Paulo não sai da minha memoria.

Ainda antes do fim do jogo, Denilson fez mais uma bela jogada e tocou para França que matou a partida e sacramentou o titulo do Maior do Mundo.

Eu gritava pela primeira vez na vida um ÉÉÉÉÉ CAMPEÃO!!!

Da festa lembro pouco, apenas Rai sendo ovacionado e Denilson dizendo um “Até Logo” chorando enquanto era carregado nos ombros.

Eu sempre fui são paulino, mas foi nesse dia que eu descobri o motivo de me emocionar cada vez que ouço o “Salve o Tricolor Paulista”.

E é esse o meu #SPFC x Corinthians inesquecível.

Agora é minha vez (@vipetri_dm9) e o meu jogo é bem mais recente.

2005, em um domingo frio acordo cedo e vou para a casa do Júlio almoçar e ir para o jogo. Naquele dia havia algo a mais do que o clima do clássico, aquele dia um outro amigo nosso iria junto, Luiz Paulo. Eu e o Júlio sofremos de fanatismo pelo São Paulo, esse tal Luiz não… o cotado é corintiano…
Arrastamos ele com agente e depois de algum tempo e muito transito estavamos na arquibancada azul, 2 São Paulinos e um gambazinho.

Na época as barbies da marginal eram conhecidas como os GAYláticos e isso tinha tudo para deixar o clássico ainda mais emocionante.
Com 2 minutos de jogo o Nilmar já abre o placar pro time das meninas e eu confesso que sempre torci pra ele vir pro São Paulo, pensei: Hoje vai ser um dia daqueles.
Quando eu olho pro lado o Luiz estava com a cabeça dentro da blusa, disfarçando  e morrendo de rir sem ninguém ver.
Mas isso só me fez torcer mais.

Essa agonia não demorou muito para passar, aos 28 minutos em jogada pela esqueda Amoroso domina a bola, passa no meio de 2 gambazinhos e corta para o pé esquerdo… não preciso dizer mais nada né? Um golaço. Foi aí que eu percebi como o gosto da vingança pode ser doce e dei um abraço e muitos tapas bem fortes nas costas do Luiz, olhei para o outro lado e dessa vez quem ria era o Júlio.

O jogo era emocionante, chances de gol para os dois lados e aos 30 do segundo tempo a virada tricolor. Souza marca o seu e mais uma vez a torcida da um show na arquibancada.

Dessa vez foi a nossa alegria que durou pouco, um tal de Rosinei faz o gol de empate e o pior de tudo é que o gol foi bonito e próximo aos 40, o que me fazia pensar que voltaria pra casa com um chato empate contra as meninas.

Engano  meu, pra alegria de quase toda a torcida na arquibancada azul aos 42 minutos o São Paulo sofre penalti e consagra mais uma vitória contra as meninas, 3×2 no Morumbi.

Esse foi o meu #SPFC x Corinthians inesquecível, vêr o morumbi lotado e o São Paulo ganhar dos gambazinhos ao lado de um gamba, não tem preço.
Para tornar ainda mais inesquecível a partida um tal de Zveiter anulou a partida, mas mesmo sendo anulada eu digo, valeu cada centavo.

ARVE Error: no id set

Agora é sua vez, conte pra nós, deixe um comentário dizendo qual o seu #SPFC x Corinthians inesquecível?

VOTAÇÃO

Ae galera, a votação vai começar e vai durar até as 13hs de amanhã.

Esta semana perguntamos o que vc diria aos corintianos após a vitória Tricolor no clássico de domingo?
As melhores frases que vão disputar o “Torcida Soberana” da semana que vem são:

@ AlineDDR
Desculpa, mas não consigo dar moral pra vcs, minha cara já diz tudo.

@alan_msousa
Ta aqui nosso presente pelo centenário… E desejo que nos proporcionem mais 100 anos de muita gargalhada.

@Anamedeiro
Chora gambazada, contra o gigante não tem pra ngm.

Para votar é simples, deixe um comentário com o twitter de quem vocÊ espera que ganhe e começe a torcer.
Só será considerado 1 voto por pessoa.

E aí??? Qual será o vencedor da próxima “Torcida Soberana”???

ÍDOLO E MESTRE SOBERANO

ARVE Error: no id set

Caro leitor, se prepare para uma longa leitura, que já completa quase 80 anos de história.
Começou em Itabirito (MG), e para a decepção dos nossos “soberanos” não terminará aqui nesse texto, mas isso eu explico mais pra frente.
Seu nome? Telê Santana da Silva, mais conhecido como “O Mestre Telê”.

Queríamos começar o texto antes dele se tornar Mestre, mas isso seria impossível, ele nasceu Mestre e isso não temos como mudar, nem poderíamos, com certeza tirar dele esse posto seria o maior sacrilégio já cometido na história do futebol.

Ponta direita com passagens pelo Fluminense, Guarani e Vasco da Gama.
Como Técnico o currículo é extenso mas com certeza a sua trajetória mais vitoriosa foi ao comando do São Paulo Futebol Clube. Este aqui é sim um site clubístico, mas me perdoem, esse post não é sobre o São Paulo, isso tudo é para um ídolo incontestável, um Mestre.

Será que os mais novos acreditariam que o homem que homenageamos hoje já foi chamado de “pé frio”? Que vontade que eu tenho de voltar no tempo e rir da cara de cada um que um dia disse isso.
Pois é meus queridos críticos, ele realmente justificou seu primeiro apelido no mundo do futebol, “O Fio de esperança” se tornou técnico e assim se tornou “Mestre”.

O Conquistador das Américas, apaixonado por essa tal Libertadores.

Quantas vezes caia em lágrimas por causa desse mestre, quantas alegrias você me proporcionou meu Eterno Mestre Telê e quanto choro também, o maior deles em 21 de abril de 2006 quando nos deixou aqui levando para o céu todo o seu brilhantismo.

Como é difícil buscar criatividade e inspiração para escrever quando você olha para trás e vê no seu passado coisas que te deixam sem palavras e sem reação até hoje. Obrigado por me proporcionar isso Mestre, obrigado por tornar mais difícil o meu trabalho de “blogueiro” mas com o orgulho de saber que absolutamente NADA do que eu escreva aqui vai retratar toda a importância que você tem pra mim e pra todos aqueles que nos lêem.

No começo eu disse que para a decepção de vocês esse texto não terminaria aqui. Essa história nunca vai terminar e eu tenho certeza de que quando estiver bem velhinho ainda vou ligar minha televisão e ver em todos programas de esportes o seu rosto sorridente e a sua camisa tricolor.

Obrigado Mestre,
Te amamos e para sempre amaremos.

#TelêEterno

Olê, olê, olê olê, Telê… Telê